DOI:https://doi.org/10.3232/REB.2018.V5.N9.3447

Cultura religiosa y Cultura política: conflictos políticos y religiosos entre Masones, Jansenistas y el movimiento de Reacción Católica en Pernambuco, Brasil, entre 1910 y 1930

Claudio Marcio Coelho

Resumen

Este artículo se basa en la investigación histórica y sociológica que llevamos a cabo en el Doctorado en Historia Social de las Relaciones Políticas. El principal desafío de nuestro trabajo consiste en el estudio histórico de la confluencia entre cultura religiosa y cultura política en el Noreste de Brasil, específicamente en Pernambuco, uno de los mayores centros de actividad de la Reacción Católica en Brasil. Investigamos los conflictos políticos y religiosos entre Jansenistas, Masones y Jesuitas por la hegemonía en el campo educativo en el Noreste, en las primeras décadas del siglo XX, entre 1910 y 1930. De esta manera, destacamos los efectos políticos de la disputa de campo en el catolicismo ilustrado y en la producción intelectual del profesor Alfredo Freyre, padre del escritor y científico social brasileño Gilberto Freyre, así como la acción de la Iglesia Romana con las familias católicas tradicionales de la región.

Palabras clave

Cultura religiosa; Cultura política; Reacción católica; Pernambuco; Alfredo Freyre.
Vistas: 225
Descargas PDF: 133

 

Referencias


Azzi, R. (1977). A restauração católica no Brasil, 1920-1930. Síntese - Revista de Filosofia, 4(10), 61-89.

Baldin, M. A. (2009). Dom Leme e a recristianização do Brasil: ensaio de interpretação. Revista Brasileira de História das Religiões, 1(3), 1-9.

Bloch, M. (2002). Apologia da história ou o ofício de historiador. Rio de Janeiro: Zahar.

Buyse, O. (1927). Methodos americanos de educação geral e technica (L. R. de Sennna, Trad.). Bahia: Imprensa Oficial do Estado.

Cerqueira Filho, G. & Neder, G. (1997). Emoção e política: (a)ventura e imaginação sociológica para o século XXI. Porto Alegre: Sergio Antonio Fabris Ed.

Cerqueira Filho, G. (2011). Prefácio. In G. Neder. Duas margens: ideias jurídicas e sentimentos políticos no Brasil e em Portugal na passagem à modernidade. Rio de Janeiro: Revan; FAPERJ.

Coelho, C. M. (2007). Gilberto Freyre: indiciarismo, emoção e política na casa-grande e na senzala. Dissertação de Mestrado em História Social das Relações Políticas do Programa de Pós-graduação em História, Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória, Espírito Santo, Brasil.

Coelho, C. M. (2015). A reação católica e a permanência da “Questão Religiosa” no Brasil Republicano. Trabalho publicado nos Anais do I Congresso Nacional de Ciências Sociais: Desafios da inserção em contextos contemporâneos (pp.1344-1356), 23 a 25 de setembro de 2015 na Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória, Espírito Santo, Brasil. Recuperado de [http://conacsoufes.com.br/anais/wp-content/uploads/2017/01/Anais-I-Conacso-completo.pdf].

Coelho, C. M. (2016). Religião e política: Em nome do Pai: Gilberto Freyre e Casa-Grande & Senzala, um projeto político salvífico para o Brasil (1906-1930)? Tese de Doutorado em História Social das Relações Políticas do Programa de Pós-graduação em História, Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória, Espírito Santo, Brasil.

Coelho, C. M. (2017). Jansenismo, maçonaria e reação católica: Alfredo Freyre e a disputa pela educação em Pernambuco (1910-1920). Passagens. Revista Internacional de História Política e Cultura Jurídica, 9(1), 58-75.

Collingwood, R. (2001). A ideia de história (9ª ed.). Lisboa: Presença.

Freyre, A. (1970). Alfredo Freyre: dos 8 aos 80 e tantos. Autobiografia do autor com introdução e anotações de seu filho Gilberto Freyre. Recife: Editora da Universidade Federal de Pernambuco.

Freyre, G. (1933). Casa-Grande & Senzala: formação da familia brasileira sob o regimen de economia patriarchal (1ª ed.). Rio de Janeiro: Editora Maia & Schmidt.

Freyre, G. (1964). Meu pai. In L. de Oliveira (Org.). Homenagem a Alfredo Freyre. Recife: Composta e Impressa nas Oficinas Gráficas da Impressa Oficial.

Gabaglia, L. P. R. (1962). O Cardeal Leme. Rio de Janeiro: José Olympio.

Ginzburg, C. (1989). Mitos, emblemas, sinais: morfologia e história. São Paulo: Cia das letras.

Ginzburg, C. (2002). Relações de forca: história, retórica, prova. São Paulo: Cia das Letras.

Ginzburg, C. (2014). Medo, reverência, terror: quatro ensaios de iconografia política. São Paulo: Cia das Letras.

Ginzburg, C. (1987). O queijo e os vermes: o cotidiano e as ideias de um moleiro perseguido pela inquisição. São Paulo: Cia das Letras.

Gramsci, A. (1982). Os intelectuais e a organização da cultura (Vol. 48, 4ª ed.). Coleção Perspectiva do Homem. Série Filosofia. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira.

Magalhães, G. F. (2005). Ação católica, ação política: as influências do grupo católico durante o Estado Novo (pp.1-8). Anais ANPUH (XXIII Simpósio Nacional de História), Londrina, Paraná, Brasil. Recuperado de [http://anpuh.org/anais/wp-content/uploads/mp/pdf/ANPUH.S23.0412.pdf]. Consultado [06-2015].

Manacorda, M. A. (2002). História da educação: da antiguidade aos nossos dias (10ª ed.). São Paulo: Cortez.

Maria, P. J. (1950). O catolicismo no Brasil: memória histórica. Rio de Janeiro: Livraria Agir Editora.

Marrou, H. (1974). Do conhecimento histórico. Lisboa: Aster.

Martins, M. R. (2011). Gilberto Freyre. O ex-protestante: uma contribuição biográfica (2ª ed.). Goiânia: Kelps.

Medeiros, J. (1978). Alceu Amoroso Lima. In Ideologia autoritária no Brasil, 1930-1945. Rio de Janeiro: Ed. da FGV.

Neder, G. (2016). As reformas políticas dos homens novos (Brasil Império: 1830-1889). Rio de Janeiro: Editora Revan.

Pallares-Burke, M. L. G. (2005). Gilberto Freyre: um vitoriano dos trópicos. São Paulo: UNESP.

Romano, R. (1979). Brasil: Igreja contra Estado: crítica ao populismo católico. São Paulo: Kairós.

Rosa, L. R de O. (2011). A Igreja Católica Apostólica Romana e o Estado Brasileiro: estratégias de inserção política da Santa Sé no Brasil entre 1920 e 1937. Tese de Doutorado em História da Faculdade de Ciências Humanas e Sociais, Universidade Estadual Paulista, Franca, São Paulo, Brasil.

Salem, T. (1982). Do Centro D. Vital à Universidade Católica. In Chwartzman, S. (Org.). Universidades e instituições científicas no Rio de Janeiro. (pp. 97-134). Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), Brasília. Recuperado de [http://www.schwartzman.org.br/simon/rio/tania.htm]. Consultado [04-06-2015].

Silva, A. C. (2013). Maçonaria e república: confrontos, conflitos, tensões e atuação sócio-política de maçons em Pernambuco nas décadas de 1930 e 1940. Tese de Doutorado em História do Centro de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, Pernambuco, Brasil.

Vieira, D. G. (1980). O protestantismo, a maçonaria e a questão religiosa no Brasil. Brasília: Editora da UnB.

Vilaça, A. C. (1975). O pensamento católico no Brasil. Rio de Janeiro: Zahar.





Con el mecenazgo de
Universia
Avda. de Cantabria, s/n - 28660, Boadilla del Monte
Madrid, España
EMail: info@sjss.universia.net