DOI:https://doi.org/10.3232/REB.2015.V2.N3.08

La Ação Popular y el proceso de integración en la producción: una experiencia de trabajo y lucha

Camila de Jesus Silva

Resumen

El artículo en cuestión tiene como objetivo hacer un análisis sobre el proceso de integración en la producción desarrollada por la organización de izquierdas brasileña Ação Popular (Acción Popular, AP), a partir del estudio de los conceptos relacionados con la categoría trabajo, como la división del trabajo, que se desarrolló al tomar forma la distinción entre el trabajo manual y el trabajo intelectual y que, a su vez, condujo al extrañamiento y la alienación del sujeto respecto a su propio trabajo. A partir de esta premisa, y con una breve descripción de la historia de esta organización, que existió más o menos entre 1962 y 1974, se señalarán algunos puntos acerca de las razones por la AP llevó militantes, en su mayoría de clase media, al mundo del trabajo en las fábricas y en las zonas rurales, y qué beneficios representó esta medida en la estrategia política revolucionaria de AP.

Palabras clave

Trabajo, alienación, izquierda política brasileña, Ação Popular
Vistas: 184
Descargas PDF (Português (Brasil)): 140

 

Referencias


ARNS, D. Paulo E. (1986). Um relato para a história. Brasil: Nunca mais. Petrópolis: Editora Vozes, 17º edição.

BRAVERMAN, Harry. (1981). Trabalho e Capital monopolista: a degradação do trabalho no século XX. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 3º edição.

DIAS, Reginaldo B. (2014). Da esquerda católica à esquerda revolucionária: a Ação Popular na História do catolicismo. Revista brasileira de História das Religiões: Dossiê Identidades Religiosas e História, Maringá, vol. I, 2007. Recuperado de [http://www.dhi.uem.br/gtreligiao/ pdf/17%20Reginaldo%20Benedito%20Dias.pdf]. Consultado [01/11/2014]. pp. 166-194.

DIAS, Reginaldo B. (2009). O maoísmo da Ação Popular e sua intervenção no noroeste do Paraná. Revista Espaço Acadêmico: Dossiê 60 anos da Revolução Chinesa, vol. 9, nº 101. Recupeado de [http://www.periodicos.uem. br/ojs/index.php/EspacoAcademico/article/view/8401]. Consultado [25/08/2014]. pp. 55-70 GORENDER, Jacob. (1987). O Combate nas trevas: a esquerda brasileira, das ilusões perdidas à luta armada. São Paulo: Editora Ática.

LESSA, Sergio. (1992). Lukács: trabalho, objetivação, alienação. Trans/Form/Ação, Marília, vol. 15, dec. 1992. Recuperado de [http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_ arttext&pid=S0101-31731992000100002&lng=en&nrm=iso]. Consultado [30/09/2014].

LIBANIO, João Batista. (2005). Concílio Vaticano II: Em busca de uma primeira compreensão. São Paulo: Edições Loyola.

LIMA, Haroldo e ARANTES, Aldo. (1984). História da Ação Popular: da JUC ao PC do B. São Paulo: Alfa-Omega, 2º edição. pp. 110-119.

MARX, K. (1996). Divisão do trabalho e manufatura. Em: O Capital. vol. I. São Paulo: Nova Cultural. pp. 453-482.

MARX, K. (1996a). Maquinaria e Grande Indústria. Em: O Capital. vol. II. São Paulo: Nova Cultural. pp. 7-133

MARX, K. (2008). Trabalho estranhado e propriedade privada.” Em: Manuscritos econômicos filosóficos. São Paulo: Boitempo Editorial. pp. 79-102.

MARX, K; ENGELS, Friedrich. (2006). O manifesto comunista. Em: BOYLE, David. O manifesto comunista de Marx e Engels. Rio de Janeiro: Zahar. Resuperado de [http://www.aproffesp. pro.br/files/Livros/Karl%20Marx/O_Manifesto_comunista. pdf]. Consultado [10/02/2015].

PAULO NETTO, José. (2011). Introdução ao estudo do método de Marx. São Paulo: Expressão Popular. REIS FILHO, Daniel A. (1981). A construção do socialismo na China. São Paulo: Editora Brasiliense.

MARX, K. (2006). Introdução. Em: REIS FILHO, Daniel A.; SÁ, Jair F (orgs). Imagens da Revolução: documentos políticos das organizações clandestinas de esquerda dos anos 1961-1971. São Paulo: Expressão Popular, 2º edição. pp. 15-32.

MARX, K; SÁ, Jair F. (2006). Imagens da Revolução: documentos políticos das organizações clandestinas de esquerda dos anos 1961-1971. São Paulo: Expressão Popular, 2º edição. pp. 49-50.

RABELO, Annete S. (2011). Entrevista concedida à Camila de Jesus Silva. Goiânia, 24 out. 2011.

RIDENTI, Marcelo S. (2002). Ação Popular: cristianismo e marxismo. Em: REIS FILHO, Daniel Aarão; RIDENTI, Marcelo (orgs.). História do marxismo no Brasil, 5. Partidos e organizações dos anos 20 aos 60. Campinas: Editora da UNICAMP. pp.213-282.

SKORUPSKI, Maria Aparecida G. (2011). Entrevista concedida à Camila de Jesus Silva. Goiânia, 17 out. 2011.





Con el mecenazgo de
Universia
Avda. de Cantabria, s/n - 28660, Boadilla del Monte
Madrid, España
EMail: info@sjss.universia.net