DOI:https://doi.org/10.3232/REB.2015.V2.N2.03

El Estado brasileño y la represión política en la Era Vargas: base institucional del aparato de contención y de control de la sociabilidad obrera

Marcos Tarcisio Florindo

Resumen

Este artículo discute la base institucional del aparato de represión política y social durante el primer gobierno Vargas (1930 -1945). El objetivo es observar la integración de los distintos departamentos creados para la realización de una estricta política de contención de la sociabilidad de trabajo. Las principales fuentes utilizadas son los documentos de la policía política, el corazón del aparato de contención, articulados en una narrativa que valora la visión general de la estrategia represiva y observa sus efectos de poder en la sociedad.

Palabras clave

Gobierno Vargas, represión, DEOPS/SP, violencia
Vistas: 298
Descargas PDF: 678

 

Referencias


AGGIO, Alberto; BARBOSA, Agnaldo e COELHO, Hercídia. Política e sociedade no Brasil (1930 -1964). São Paulo: Annablume, 2002.

ALVES, Paulo. A verdade sobre a repressão. Tese de Doutorado em História, FFLCH/USP, 1989.

CAMPOS, Alzira Lobo de A. Tempos de viver: Dissidência comunista em São Paulo (1931- 1936). Tese de livre docência em metodologia da História, FHDSS Unesp/Franca, 1998.

DIAS, Eduardo. Um imigrante e a revolução: memórias de um militante operário em São Paulo (1934 - 1951). São Paulo: Ed. Brasiliense, 1983.

DIAS, Everardo. História das lutas sociais no Brasil. São Paulo: Ed. Alfa-Ômega, 1977.

DRAIBE, Sonia. Rumos e Metamorfoses. Estado e industrialização no Brasil 1930 -1960. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1985.

DULLES, John Foster. Anarquistas e comunistas no Brasil. Rio de Janeiro: Ed. Nova Fronteira, 1977.

DULLES, John Foster. O Comunismo no Brasil (1930-1945). Rio de Janeiro: Ed. Nova Fronteira, 1985.

FARIA, Antônio. O retrato do velho. São Paulo: Atual, 1984.

LAMOUNIER, Bolívar. “Formação de pensamento político autoritário na 1ª República, uma interpretação”. Em: História Geral da Civilização Brasileira. Vol. 9. São Paulo: Difel, 1986.

LENHARO, Alcir. A sacralização da política. Campinas: Papirus/Unicamp 1986.

NOGUEIRA, Marco Aurélio. As possibilidades da política: idéias para a reforma democrática do Estado. São Paulo: Paz e terra, 1998.

PINHEIRO, Paulo Sérgio. Estratégias da ilusão: A revolução mundial e o Brasil, 1922-1935. São Paulo: Cia das Letras, 1991.

SANTOS, Wanderley Guilherme. Cidadania e Justiça: a política social na ordem brasileira. Rio de Janeiro: Campus, 1979. SILVA, Nady Moreira da. “O republicanismo autoritário”. Reflexão. Revista da PUC Campinas. ano IX, nº 29, ago. de 1983.

SOUZA, Maria do C. Campelo de. Estado e partidos políticos no Brasil (1930 -1964). São Paulo: Alfa-Omega, 1990.

ROSE, R. S. Uma das coisas esquecidas: Getúlio Vargas e o controle social no Brasil. 1930-1945. São Paulo: Cia. das Letras, 2001.

TERRA, Sylvio e MACORD, Pedro. Polícia, lei e cultura. Rio de Janeiro: Gráfica Guarany, 1939. TRINDADE, Hélgio. Integralismo (o fascismo brasileiro dos anos 1930). São Paulo: Difusão européia do livro, 1974.

VIANNA, Marli Gomes. Revolucionários de 1935: sonho e realidade. São Paulo: Cia das Letras, 1992.

WAACK, William. Camaradas nos arquivos de Moscou: a história secreta da revolução brasileira de 1935. São Paulo: Cia das letras, 1993.





Con el mecenazgo de
Universia
Avda. de Cantabria, s/n - 28660, Boadilla del Monte
Madrid, España
EMail: info@sjss.universia.net